Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Inocênte de Quê?

"É relativamente fácil suportar a injustiça. O mais difícil é suportar a Justiça" - Henry Menchen

"É relativamente fácil suportar a injustiça. O mais difícil é suportar a Justiça" - Henry Menchen

Inocênte de Quê?

07
Mar20

89 - Julgamento - Primeira Audiência - 5ª Testemunha

António Dias

Queixinhas.jpg

 

89

Vítor Carvalho – Bom, seja ou não seja reconhecido nas imagens eu reconheço-o, e não tenho a menor dúvida que quem está a praticar aqueles atos é o arguido, e já tem havido outras, outras, outros factos …

Juiz - … faça favor doutor, não vamos agora estar aqui a relatar os conflitos que tem aqui com …

Advogado do Arguido - … com todo o respeito, quando alguém vem dizer, já temos aqui, já vimos aqui …

Juiz - … já vimos que há divergências entre os dois …

Advogado do Arguido - … V. Exa. vai-me desculpar, mas quando uma pessoa refere exatamente, não apresentou antes nenhuma queixa, porque é uma pessoa muito conflituosa, ao menos gostávamos de tentar saber, não para condenar o arguido, mas saber ao menos em que é que se funda esse conflito. Porque eu posso dizer aqui a este tribunal que conheço o arguido há muito mais tempo do que o senhor engenheiro, e sei que, em termos por exemplo penais, não existe conflito nenhum. Sei que, em termos sociais, de relevante, não existe conflito nenhum e, portanto, gostava de saber. Porque se não é assim, se não estamos aqui a falar de convicções baseadas em suposições, etc., etc. E, portanto, volto a dizer ao senhor engenheiro se se importava de concretizar em que é que se funda essa sua opinião de que o arguido é conflituoso.

Vítor Carvalho – Não trouxe agora uma lista, mas antes destes acontecimentos aconteceram outras coisas, nomeadamente, são coisas que eu, enfim, são até ridículas mas é o que é. Nós pomos normalmente o caixote de lixo para ser recolhido à sexta, ou melhor, punha, agora já não ponho porque o caixote de lixo aparecia todo sujo com detritos, digamos assim, de animais na, uma vez, uma vez, eu ouvi barulho e vi quem é que estava a fazer esse trabalho. Claro que o caixote de lixo não é recolhido por mim, o caixote de lixo é depois despejado pelos serviços e é recolhido pela minha empregada, que tem que subir aquela rampa toda até cá cima, depois chega ali e tem que pôr as mãos na porcaria que puseram no caixote, e começar mal o dia de trabalho dela. De maneira que eu para evitar esse tipo de problemas, eu resolvi deixar de pôr o caixote. Faço e despejo o lixo nos sítios mais longe de casa. Trato eu desse assunto deixando de lá pôr o meu caixote de lixo. Duas vezes …

Juiz - … ó senhor doutor, não vamos estar aqui agora …

Advogado do Arguido - … sobretudo à oportunidade de explicar …

Juiz - … dê lá a oportunidade …

Advogado do Arguido - … a quem é que o senhor apresentou queixa na participação ao SMAS? Além da carta!

Vítor Carvalho – A ninguém!

Advogado do Arguido – A ninguém! Eu há pouco não percebi, nesta estória das gravações, compreendo que o senhor terá visto o arguido, portanto sabemos que terá sido ainda em setembro, foi antes das imagens de vídeo, que supostamente são de 1 de outubro, em que terá começado a gravar. Portanto, o vídeo, não percebi porque é que deixou de gravar!

Vítor Carvalho – Porque é que deixei de gravar?

Advogado do Arguido – Portanto, durante outubro, estamos a falar em 1 de outubro como o ideal, outubro inteiro, 23 dias pelo menos que nos interessa para aqui …

Vítor Carvalho - … considero isso a prova …

Advogado do Arguido - … a prova principal era isso?

Vítor Carvalho – Sim!

Juiz - … nas alegações fará o argumentário dessas …

Advogado do Arguido - … não, não, eu não estou a comentar, eu quero saber é a situação real. É portanto em 1 de outubro que deixou de gravar?

Vítor Carvalho – Sim, deixei de gravar.

Juiz – Por essa altura?

Advogado do Arguido – Sim!

Juiz – Pronto, faça as perguntas que quiser mas …

Advogado do Arguido - … isto não são alegações. O senhor engenheiro responderá se fizer sentido ou não.

Juiz – Não estamos aqui a avaliar a …

Advogado do Arguido - … agora, diga-me outra coisa, o senhor, portanto, antes de 1 de outubro, o senhor terá visto com os seus próprios olhos, o arguido a retirar a mangueira. A sua esposa não se lembra, mas em declarações, um ou dois agentes da PSP da Polícia Municipal, fazem referência que em 2 de outubro, portanto no dia seguinte ao do vídeo, que a sua esposa terá apresentado queixa, denúncia, contra “desconhecidos ou incertos”. Nesta data o senhor engenheiro não tinha dito ainda à sua esposa que tinha visto o arguido a fazer isto?

Vítor Carvalho – Não posso confirmar essas datas, não me lembro, e posso dizer-lhe que nós tentámos levar isso até às últimas consequências, argumentar que esses episódios dessas coisas melhoraram um pouco, contudo …

Advogado do Arguido - … o senhor quando viu o arguido a retirar a mangueira, o senhor comentou com a sua esposa, ou não?

Vítor Carvalho – Sim!

Advogado do Arguido – Diga-me outra coisa. Como é que o senhor qualifica, caracteriza, a relação que tem com o arguido? Boa, má, péssima, assim assim, …

Vítor Carvalho - … não tenho relação nenhuma, porque como vizinho considero-o um mau vizinho. Provavelmente ele pensa o mesmo de mim.

Advogado do Arguido – Alguma vez apresentou alguma queixa contra ele?

(Ministério Público em voz baixa – Já disse que não!)

Vítor Carvalho – Não!

Advogado do Arguido - Nem na PSP?

Vítor Carvalho – Não! Na PSP, enfim, fiz declarações que …

Advogado do Arguido - … não, não, eu não estou a falar deste processo.

Vítor Carvalho – Não!

Advogado do Arguido – Estou a falar de queixas contra ruídos de cães?

Vítor Carvalho – Ah, isso apresentei, quanto a ruído de cães sim, claro. Mas assumo que não apresentei contra ele, apresentei contra o ruído, e a PSP fazia alguma coisa relativamente a isso.

Advogado do Arguido – Mas a polícia deslocava-se algures ali pelo bairro, ou ia bater à porta dele?

Vítor Carvalho – À porta de onde vinha o ruído.

Advogado do Arguido – Mas alguém lhe dizia isso.

Vítor Carvalho – Asseguro-lhe que era apenas isso.

Advogado do Arguido – É só isso!

Juiz – Boa tarde, pode ir à sua vida!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub